Perguntas frequentes sobre GDS

Como e quando nasceram?
A indústria aérea criou o primeiro GDS na década de 1960 como uma forma de acompanhar os horários de voos, disponibilidade e preços. As GDSs estavam entre as primeiras empresas de comércio eletrônico do mundo a facilitar o comércio eletrônico B2B já em meados da década de 1970, quando a SABRE (da American Airline) e Apollo (United) começaram a instalar seus próprios sistemas internos de reservas em agências de viagens.

Antes disso, as agências de viagens perderam muito tempo inserindo manualmente as reservas e itinerários de preços referentes a livros tarifários publicados pela Airline Tariff Publishing Company. As companhias aéreas perceberam que, ao automatizar o processo de reserva para as agências de viagens, poderiam tornar as agências de viagens mais produtivas e transformá-las essencialmente numa extensão da força de vendas da companhia aérea. São estes os GDSs originais que hoje são a coluna portante do sistema de distribuição de viagens na Internet.

Os principais sistemas GDS atualmente são:

  • Amadeus
  • Galileo
  • Sabre
  • Worldspan e Dhisco (anteriormente conhecido como Pegasus)

O que são eles?

Um GDS é outro canal de distribuição com o qual um hotel pode receber reservas, além daqueles no site na internet do hotel e através de OTAs. A diferença é que as pessoas na outra extremidade do GDS são agentes de viagens, Consórcios e Grandes Empresas, não o público em geral como os outros canais.

Embora qualquer tipo de hotel possa se conectar ao GDSs, o canal é mais adequado para hotéis de negócios em locais primários, principalmente grandes cidades com aeroportos, onde há muitas grandes empresas, feiras e eventos e, portanto, uma grande quantidade de clientes de negócios. Na verdade, as reservas através do GDS são feitas, principalmente, para quartos individuais, estadias curtas, com uma janela de reserva curta, e muitas vezes para quartos múltiplos.

Como funcionam?

Para os usuários, o sistema requer treinamento. Os agentes de viagens devem aprender a "linguagem" do sistema GDS a fim de procurar hotéis e compreender os resultados.

Para exemplificar, aqui está o aspecto da interface do agente de viagens:

Exemplo 1

Este exemplo mostra os resultados de uma pesquisa de disponibilidade perto de um "ponto de referência". Aqui o agente de viagens está à procura de um hotel nas proximidades da atração específica, neste caso Tower Bridge, Londres. Os resultados surgem em ordem de proximidade à atração, que pode ser visto indicado na coluna DI.

Vertical Booking - GDS

Exemplo 2

Esta tela mostra os resultados de uma pesquisa de disponibilidade para um hotel específico. É mostrado o preço da primeira noite, o preço total da estadia, incluindo impostos, o nome da tarifa, a descrição técnica do quarto e instalações, e a comissão do agente de viagens.

Vertical Booking - GDS

Para o hoteleiro, a Vertical Booking integra a conectividade GDS no CRS de modo que as tarifas e a disponibilidade no GDS sejam atualizadas juntamente com todos os outros canais. No entanto, a configuração requer uma abordagem técnica. Obtendo este resultado incorreto, seu hotel não aparecerá nos resultados da pesquisa nas quais deseja estar. Mas a Vertical Booking também oferece consultoria para ajudar os hotéis a otimizar a própria abordagem técnica e estratégias de marketing para distribuição GDS.

Que oportunidades oferece ao hoteleiro?

Os GDSs representam um canal exclusivo, o que significa que não existe uma forma alternativa de aproveitar esta base de clientes específica e rentável. A distribuição de GDS é responsável por uma parcela significativa de vendas e receitas para muitos hotéis.

Get started